Loading...

Chevron

0 comments
ago 18 2014
Bastante presente há pelo menos três anos nas artes visuais, o padrão "chevron" tem sido uma verdadeira "febre" mundial em termos de design de superfícies.
Bastante presente há pelo menos três anos nas artes visuais, o padrão “chevron” tem sido uma verdadeira “febre” mundial em termos de design de superfícies.

Antes de mais nada saiba que o padrão “CHEVRON” não pertence a nenhuma marca. E sua origem remota a cerca de 1.800 anos a.C., em cerâmicas de uso diário e ornamentos aplicados sobre paredes de cavernas! Ou seja, “não há nada de novo no front“, há quase 4 mil anos…

Segundo especialistas em tendências, uma das grandes "responsáveis" pelo atual uso massificado do padrão foi o lançamento da coleção a Missoni - grife italiana que tem o chevron quase como símbolo - para a norte americana - e popular - loja de moda básica, Target, em setembro de 2011.
Segundo especialistas em tendências, uma das grandes “responsáveis” pelo atual uso massificado do padrão foi o lançamento da coleção a Missoni – grife italiana que tem o chevron quase como símbolo – para a norte americana – e popular – loja de moda básica, Target, em setembro de 2011.

O uso repetido e tremendamente massificado desta estampa tem ocorrido como qualquer outra tendência em design, decoração, arquitetura e, neste caso, em moda: de repente algo se torna “cool” (isto é, “legal”, agradável, belo), e o mundo inteiro quer usá-lo de alguma forma. De tecidos para decoração a formatos de aneis (!), de designs em cartões de visita à blusinha que você encontra em qualquer grande magazine, lá está o padrão, colorido e fácil de ser compreendido/utilizado/consumido de imediato. Por quanto tempo dura este verdadeiro “transe” nas massas? Depende…

Alguns usos mais "exóticos" da estampa: sobre unhas, em forma de anel, em babadores de bebês, num bolo de casamento e até em uma torradeira!
Alguns usos mais “exóticos” da estampa: sobre unhas, em forma de anel, em babadores de bebês, num bolo de casamento e até em uma torradeira!

Depende de muitos fatores, mas é fato de que, aos poucos, o que é considerado, “muito atual”, passa a ser percebido como um deja vú indesejado. Aos poucos outra estampa, ou cor, ou forma vai tomando seu lugar e ele é esquecido. Na verdade, como se trata de algo utilizado há milênios e em diferentes campos do conhecimento humano (na Heráldica, em códigos de insígnias militares, por exemplo), este, em particular, continuará a ser utilizado. Só que não de forma tão ostensiva em algumas áreas onde foi mais explorado que o normal. Quem viver verá.