Loading...

O renovado estilo Industrial

0 comments
abr 08 2017

Um autêntico loft, que hoje é chamado de “ambiente em estilo industrial”.

Tenho certeza de que você “lembra desse filme”: quando algo está um tanto “passado”, com jeito de muito visto, muito gasto, muito usado, logo vem uma “nova roupagem”, um novo toque, uma “releitura”. É o que parece o tão propalado – e até tão “perseguido” pelos amantes das novidades para a casa – Estilo Industrial: com um item novo aqui, uma nova ideia ali, dá-se novo fôlego a algo que já se usa há muito. É de bom tom que se use nova nome e todos ficam contentes com “a nova moda” o que é bom para muita gente, inclusive para o comércio de um modo geral.

EIndus2

Nossos ‘Briques’ podem ser utilizados em uma série de situações onde o estilo industrial é a tônica.

Lembram-se dos famosos Lofts Novaiorquinos que tanto sucesso fizeram lá, aqui e em todo o mundo? A moda pegou firme a ponto de as construtoras brasileiras lançarem prédios com lofts! Ou seja: ao invés de, como no conceito inicial, antigos galpões e armazéns de fábricas, mercados e até silos de portos e aeroportos serem reaproveitados como novas moradias – geralmente utilizados por gente alternativa, que gostava de algo amplo e diferente de uma casa nos moldes convencionais – a ideia foi tão propalada que passou-se a construir prédios com o conceito: sem paredes, apenas com um ou dois banheiros separados de um espaço amplo anexo. O fenômeno se alastrou por todo o globo e, além dos bairros degradados que foram (e ainda são) recuperados em renovações urbanísticas muito louváveis, também existe esta estranha “tendência” de construir algo que deveria ser encontrado pronto.

EIndus1

Os antigos toneis de óleo e graxa renovados como se contivessem bebidas ou perfumes: bem dentro da nova estética.

Vai daí que dizer que “comprei um loft” ficou meio ultrapassado, mas a ideia não passou completamente. Integração de espaços – a união de salas com cozinhas, principalmente – o uso de iluminação sobreposta e não embutida nas paredes – e mais barata! – e um certo gosto pelo que é característico das grandes cidades, bruto, rústico, totalmente ligado ao modo de vida nas metrópoles, mas que também lembra uma certa “decadência vintage” que tem a ver com a estética do início da revolução industrial (lá do início do século XX), tudo isso virou a linguagem do chamado “Estilo Industrial”. Claro: este conjunto de referências visuais já fazia parte da linguagem dos lofts, mas para “esquentar” (ou requentar) o interesse neles, que tal falar em algo mais novo, mais específico? Surge aí o Estilo Industrial per se.

EIndus4

Os novos pendentes: conjunto de lâmpadas de filamento levemente “desarrumadas” sobre um móvel ou ambiente.

Um grande exemplo são os famosos tijolinhos: linguagem máxima da época das vilas operárias na Inglaterra das primeiras cidades fabris, também eram encontrados em interiores e exteriores de lofts. Hoje em dia estão disponíveis em todos os tamanhos, tonalidades, acabamentos e até mesmo aplicações. Por que não utilizá-los rústicos e meio esverdeados, como se fosse limo, para dar o clima precário de um beco da Londres de 1900, a um quarto adolescente? Ou com um aspecto mais leve e limpo, esmaltado em branquinho, inspirado no próprio metrô, da mesma metrópole, do início do século passado, numa cozinha ou banheiro bem atual? Tudo é possível e a linguagem está bem aí para todos que quiserem aproveitá-la. Sem esquecer de toneis de latão renovados por marcas de whisky ou de perfumes que suavizam seu “lado sujo, que cheira a óleo industrial” – e que viram bases de cubas ou até mesinhas de cabeceira no quarto de moças – pneus de tratores que podem ser pintados com cores variadas e são utilizados como bases de mesas de apoio, e – o que não pode faltar – as já famosas lâmpadas de filamento de carbono, com bulbos com desenhos super diferentes, devidamente enroladas e penduradas no teto, não em comportados lustres ou pendentes.

Estilos vêm e vão, assim como modas e modismos. Se realmente se sedimentam, ficam como referência e passam a ser utilizados em outras épocas – o que já não acontece com as modas e os modismos, que são bem passageiros. Vamos ver o que será, no futuro, o destino do que hoje se chama de Estilo Industrial.